sábado, 17 de outubro de 2015

Duas ou mais... Cajadadas


15 Outubro 2015

Tendo acabado de ganhar a batalha que travei “após luta titânica” com dois generosos e inocentes salmonetes no Restaurante Verde e Branco em Setúbal, desloquei-me ao Fórum Alegro na mesma cidade.

Aí, “como préviamente combinado”, encontrei-me com o nosso Camarada CRUZ. Era o nosso  morteirista/desenhador, atributo que conforme confessei numa postagem anterior “não recordava”, a fim de lhe entregar as fotografias da nossa guerra, que me emprestara para digitalizar.

Trabalhador dedicado à construção civil, confessou-me que decidiu finalmente "graças à crise do sector", começar a gozar um pouco mais a merecida reforma, aproveitando para passar própapel algumas das suas histórias da guerra, que aliás já tinha prometido.

Mesmo sem histórias não vim de mãos a abanar. Entregou-me um desenho a cores, que executou ainda em terras de África, intitulado “POR AQUI PASSEI”.

Utilizando uma linguagem bélica, mato agora dois coelhos com uma cajadada. Coloco o seu desenho aqui no blogue para vermos uma vez mais a sua habilidade, bem como para recordar locais por onde o nosso pelotão passou.

Antes de terminar o conteúdo desta postagem, descobri que estou quase a atingir a curva descendente da idade, pois neste dia 15...fiz 69.
Também fez exactamente 4 anos, que se realizou um Convívio dos Graduados onde esteve presente o Nosso Comandante.

Concedendo a honra de me pagaram um almoço neste meu aniversário, aproveito para convidar aqueles que são meus amigos a juntarem-se a nós, para vivermos uma pequena aventura que dinamizo já lá vão uns anos. Assistir “in loco” no ponto ZE9, à passagem da
Baja de Portalegre 500.

Perguntará o leitor: que raio tem a ver a Baja com a Tropa?

Defacto é um pouco difícil de explicar.



Mas o espírito de aventura, a camaradagem, os imprevistos e improvisos e tudo o mais, fazem-me lembrar muito do que passamos durante o nosso serviço militar.
Os mais novos que não foram à tropa e englobam o “pelotão”, deliram com as peripécias existentes

Como é habitual, a reunião das "tropas" procedentes de Nine e Vila Nova de Famalicão com as oriundas do Barreiro, ocorre ao jantar no Restaurante Dom Fernando na Ponte do Sôr, na tarde anterior.
Após dizimar Carpas, Achigãs ou Lúcios “depende do gosto e do stock na altura”, a pernoita faz-se na minha casa do Alentejo, (no Vale de Açor) onde “qual caserna” todos ao molho e fé em deus, se distribuem pelos quartos*. Todo o mundo sabe que o sofá do Hectopieze Bar está reservado para mim.

Às 7 horas da matina, como sempre abro as goelas ao amplificador de som do BAR e, bem alto, o toque de alvorada misturado com os impropérios dos estremunhados, invadem a casa.
Nada de pequeno almoço (Toca a Marchar) pois não há tempo a perder. Temos de nos antecipar ao helicóptero. Como é sabido a GNR corta todos os acessos ao trânsito automóvel após a sua passagem, e o ponto ZE9 dista mais de 30 km do dormitório. Mais precisamente, na travessia de uma das ribeiras (Ribeira de Seda) que dão origem à Barragem de Montargil, no meio de chaparros bem perto da freguesia da Aldeia da Mata (Crato).

Sabemos que Compadres Alentejanos lá nos esperam de braços abertos. No começo, as famosas sardinhas na brasa acompanhadas com café, e para quem não gosta de tal bebida, o excelente Chá de navalha. As mines, as migas, o javali ou veado, as sopas de cação, téculameca, as bolotas assadas e todo o resto, não perdem por esperar. São garantidos.

Estás Convidado
Escusado será dizer, que “à semelhança dos anos anteriores” as imagens captadas no evento, serão posteriormente tratadas e editadas pelas organizações
BAIXATOLA’s BAR  

Se desconhecias este evento, aumenta bastante o som e carrega nos 2 links abaixo**



(Retirado do Site da Organização) ... e no sábado dia 24 de Outubro 2015, serão apresentados como é normal programas diferentes, para as duas e quatro rodas. Os 222 inscritos nas várias categorias da competição reservada às Motos terão pela frente uma única especial, a SS3 com os seus 350 km em linha. Enquanto isso, as 92 formações dos Carros disputam dois troços, que também totalizam 350 km de percurso. De manhã pilotos e máquinas efectuam os 150 km do SS3, enquanto de tarde levam a cabo os 200 km da SS4.

Se não regulas bem da bola, deliras com provas destas e não tens nada que fazer, convido-te a ires à boleia sentindo a adrenalina do motoqueiro nº28, carregando neste link.
Se chegares ao fim, garanto-te que ficarás cansado!...



(*) - Há 2 anos, éramos um grupo de 13 indígenas, bem comportados.

(**) - Depois de ver estes 2 links, confesso que gosto bem mais do nosso ponto ZE9 que fica já perto do final da prova, onde só passam os mais resistentes "quase sempre reduzidos a menos de 1/3", dando p'ra ver a espaços entre o Comes e Bebes os veículos e concorrentes cobertos de lama, quase de rastos.. cheios de mazelas, a maior parte com chapa amachucada, falta de escapes, rateres etc etc.

Envia se quiseres os teus comentários para:


Sem comentários:

Enviar um comentário