segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Nesta época de Natal, a festa continua

É Natal, e ninguém leva a mal 

Desde que me conheço, sempre digo: Eu Sou PORTISTA.

E por isso mesmo, desde há muito “metia o rabinho entre as pernas”
quando ouvia alguém
(gente de respeito “poucos”, aldrabões vigaristas e outros cretinos “muitos”)

referir-se ao Apito Dourado.

De orgulho ferido, não podia reagir; Confesso que sentia até, uma certa “vergonha”.


Sei que muitos dos amigos, sentiam o mesmo que eu.
=-=


Embora Ilibados:

Contra factos não há argumentos

**********
Arvorados em "Exemplares"

Rio-me agora da desfaçatez da maioria dos acima sublinhados ao saberem que sabemos "inequívocamente", que o tiro lhes saiu pela culatra.

Sem moral do que quer que seja, “Alegada mente” assobiam para o lado

Lá dizia o Scolari: E o burro sou eu?



Desde muito novo, quando li aquilo que o Bocage disse quando pediu silêncio no salão,
para anunciar aos presentes;

"O PEIDO QUE AQUELA SENHORA DEU, NÃO FOI ELA, FUI EU"

Acreditei de imediato no Bocage, e na inocência da senhora


*******


E não é de admirar:


Caso não saibas, mesmo agora com mais de 70 de idade, continuo a acreditar nos governos, em Gambuzinos, e no Pai Natal.

 “Se recuarmos no tempo quase 50 anos"
(chegamos a Santa Margarida)

Quem não se lembra daquela famosa “prostiputa” que segundo diziam fazia a vida negra às outras, considerando-se a Privativa do Quartel, e já aqui referida no blogue?

Há dias que ouvíamos falar de tal personagem conhecida pela DENTOLAS.

Quando certa tarde com a Minha Secção, regressava de uma incursão pelas matas das redondezas, em bicha de pirilau e "atentos ao inimigo", descobrimos Esta, em plena actividade.

Certificamo-nos que era verdade o que diziam.
A Dentolas, não tinha “mãos” a medir.

Numa de rodízio, enquanto uns saiam de trás da moita apertando a fivela do cinto, outros entravam já com ele desapertado.

Para não sermos considerados empata f*, saímos de fininho
Porque recordo tal acontecimento? Pergunta o leitor.

É porque segundo uma certa justissa, tanto Eu como os demais camaradas do grupo, não podemos afirmar “nada”.

A Dentolas “se ainda existisse” poderia meter-me em tribunal.

Poderia dizer: PRUSTI.. quê? Viram-me a fazer algo, por detrás daquela moita? Apresentem provas !!!

Ai não? Então meta lá no escrito, em letras bem gordas e com aspas, a palavra:

A-L-E-G-A-D-A-MENTE

(Caso não saiba; Sou uma senhora, sou virgem e imaculada)
Por falar em “Alegada mente"

A dias do Natal, “após alguns adiamentos” surgiu o desfecho dos tão badalados e “Alegados problemas de um certo clube”.

Tal como esperava,
Cada vez mais acredito na justiça, e na inocência dos visados.

Lá dizia o alentejano que foi às meninas, quando a polícia irrompeu BAR adentro, após “quando inquiridas” elas dizerem que tinham as mais diversas profissões…

NA QUERAM LÁ VER sôr guarda, QUE AFINAL, A PUTA SOU EU?

TAL TÁ A MOENGA!
Mas adivinho que não é tudo
- Infelizmente a pessoa que mais denunciou a pedofilia na Casa Pia, faleceu há poucos dias.
Deixou caminho aberto, para que gente sem vergonha, reapareça das trevas insistindo na sua inocência.
(A VER VAMOS)

- Um outro já condenado, anda à solta dando entrevistas, dizendo-se inocente, e a escolher o dia “talvez a hora” para se apresentar na  prisão.

- Outro, na maior desfaçatez de pasta em punho e ar circunspecto, oscila entre o Brasil e Portugal esperando talvez, que as acusações caduquem.

- Quanto ao já veterano inginheiro/escritor, que vive agora com os pés quase dentro d’água na miséria “um miserável”, já não bastava ter um amigo "que do nada" lhe oferecia guito até mais não, como agora tem mais um inocente benfeitor. A prima.



Isto não se faz. O coitado fartou-se de queimar a pestana para estudar e escrever um livro.
Já não bastava terem descoberto que não escreveu porra nenhuma, como agora querem dizer que o artista pouco mais tem que a 4° classe e não é ingenhêro.
"Se fosse mentiroso tinha o nariz grande".
Cá por mim, acho que é dótor.
Tal como agora, cada país tem o 1° ministro que merece
- No Metro de Lisboa, os auto-falantes com uma cadência de minutos, vão avisando o passageiro para ter cuidado com a carteira.
No caso de ser roubado, não deixe de fazer queixa à policia,
terminando com:
Assim se resolve o problema

No meu entender deveriam dizer alto e bom som:

Senhores Juízes, não soltem por favor os “reincidentes carteiristas” que a polícia prende “e vos entrega” todos os dias.
 
Temos hoje o que merecemos.

Num fiasco total, veja-se a cegada "ou cagada" do pessoal de agora, tentando imitar numa organização desorganizada convocada pelos "Facebookes", aquilo que os avéques fizeram com algum sucesso.

Estou tentado a instalar finalmente esse programa, só para deixar meia-dúzia de Láiks e dezenas de Góstos

Repara na filmagem do cerco "ou Caixa" na emblemática Rotunda do Marquês, que termina com uma configuração quase semelhante a um coração, como que a polícia a dizer aos manifestantes,
(Y Love You)

Os poucos Coletes dispersos pela Cidade aconteceram, derivado talvez à fuga do cerco, culpa da escassez de polícias nesta operação "como podes confirmar nas imagens" onde só terá faltado, o que fechava o dito.

Esta manifestacão que segundo parece "foi autorizada" não foi o fracasso total.
Deu ao menos para ver,
A enorme liderdade de expressão concedida.
Lembrando a canção do Jorge Palma “deixa-me rir” repara na capa deste jornal de 22 de Dezembro. Aqui vemos em destaque, que a coisa “tá-se” a compor.

A constatação do alentejano está próxima.
1 Semana depois
Confirma-se que nova Toupeira atacou o Citius

Aproveito para realçar o que disse aquele cirurgião:

“A POPULAÇÃO ESTÁ ANESTESIADA”

sábado, 15 de dezembro de 2018

Do Fundo do BAÚ

Parecendo evadidos de Alcatraz, são afinal, a
(Selecção de Futebol dos Graduados)
da
COMPANHIA DE CAÇADORES 2504


A partir da esquerda
Cimo: Furriel GIGA- Furriel COSTA- Furriel SILVA- Furriel CARVALHO
Furriel BRITO- Furriel TACÃO
Baixo: Furriel MACHADO- Capitão CONDE e SILVA- Furriel JORGE- Alferes COSTA
Alferes VITOR

Jogadores que produziram algo importante durante a vida, que em minha opinião, têm todo  o direito "mais ainda", a quando (longinquamente chegar a sua vez) serem também sepultados no Panteão Nacional.

MAIS UMA FOTO
(descolorida pelo tempo)

"Um dos Primeiros encontros da rapaziada"

.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

IMPORTANTE

Camarada:

Eis um vídeo muito importante “que não deves perder”
O que está escrito abaixo, fica para depois.


Se és um seguidor atento, recordar-te-ás que um dia escrevi, que este Blogue não "pára" no tempo.
Ao contrário de Estático, é um Blogue Dinâmico.

Isso queria “e quer dizer”, que lá por teres lido uma postagem certa vez, ela se mantenha “ad aeternum” como a leste.

Fruto do relembrar ou da troca de impressões com Camaradas nos sucessivos Convívios, sempre que surje algo relativo que possa enriquecer uma postagem, é nosso hábito
"incorporar sem alterar a essência” esse algo na mesma.
Um burilar na redacção, umas fotos e porque não até, um pequeno video, tem sido ao longo do tempo a nossa prática.

Veja-se o exemplo no
32º Convívio dos Graduados da 2504

A redacção com mais pormenor, uma foto da oferta aos Camaradas presentes em 2006, o tal Misterioso, mais ainda, um pequeno filme do marafado Furriel Glória com o seu inseparável saxofone, etc. São acréscimos à postagem inicial.

Pensava incluir outros exemplos, mas deixo ao leitor mais perspicaz, o prazer da descoberta:

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

2018 - Bom Natal, Feliz Ano Novo

CAMARADAS
Para todos aqueles que gostam de Nós,
Os desejos
de
"BOAS FESTAS"


Também alusivo ao tema em epígrafe,
um video do Youtube
já nosso conhecido.

E p'ra todo o resto, 
o
ANTÓNIMO ?

sábado, 1 de dezembro de 2018

Talvez não saibas que:

Talvez não saibas que:

O meu Amigo José Sá (também conhecido pelo: Zé Sagres) é um rapaz das nossas idades, que
“Tal como Eu” trabalhou na Siderurgia Nacional largos anos.


Agora na reforma, e porque lhe está no sangue o bichinho Metalúrgico,
Dedicou-se à prospecção, do famoso vil metal.

É agora, Garimpeiro.

Poderá o Leitor pensar, que este camarada não regula bem da cabeça.

Onde já se viu nos dias de hoje, "procurando" ouro?
(Neste país de impunidades, o mais simples, é roubar)

Pelo apelido se deduz, que este meu Amigo não gosta de vinho.

Conhecendo-o como conheço,
tenho a certeza que foi uma escolha consciente, livre dessa malvada “droga”.
Além de termos sido Siderúrgicos, temos algo mais em comum.

Encartados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional "I.E.F.P."

Também fomos Formadores,
e mais ainda,

Tal como Eu, é Transmontano.


Preocupado, às vezes telefono-lhe.

Imagino este solitário “autêntico eremita” septuagenário e solteirão, pulando (quais folhas de nenúfar) de pedra em pedra, nos rios e ribeiras da zona de Chaves arriscando a própria vida.

Benfiquista dos sete costados, confessa que o azar o persegue, pois o frasco que tem para “armazenar o Produto” continua vazio.

Talvez por ainda não ter conseguido ressarcir, o que gastou na compra da (Bateia)* que mandou vir pela Internet.
Não desiste.





Em 2013
Ei-lo, surgindo à varanda,

Quando acompanhado de mais dois Amigos,
o  surpreendemos no seu domicílio.


Mas porque contas isso? Perguntas tu.

Porque me lembrei do que te pode ter acontecido.
O também teres encontrado alguns cacos quando cavavas o quintal,
que guardas religiosamente, sem conseguires montar o “puzzle”.

A tua intuição de arqueólogo diz-te que parece ser um prato “grande ou pequeno, não sabes”, e por mais voltas que dês não acertas.
Reparas que muitos bocados pertencem ao rebordo, só que não sabes a que distância os deves colocar.

Interrompe as palavras cruzadas, sopa de letras ou sudókus.
Porque aqui vai talvez, uma pequena ajuda:

Agarra num dos cacos da periferia, de preferência “o maior” e coloca-o de “bruços” ao canto de uma folha de papel. Com um lápis bem afiado “e na vertical” risca a curva do caco na dita folha.

Ficaste assim, com um risco curvo.
Retira o caco e marca 3 pontos (A-B-C) nesse risco curvo
"quanto mais afastados, melhor"

Com o lápis, liga agora os pontos.


O (A com o B e o B com o C) ficaste com:

2 segmentos de recta, que podem não ser iguais.

Agora com um compasso "com centro nos pontos" procede como se indica na figura abaixo.
(Uma nota: uma vez o compasso aberto, não lhe deves alterar a abertura)
Assim, como vais ver, dividiste as semi-rectas a meio.
Certo?


E agora se prolongares as duas linhas que se aproximam,
irás encontrar no ponto de convergência, o centro do prato.

Finalmente com o raio “do centro, ao risco curvo inicial” faz a circunferência.
Pronto: Ficaste assim com uma ideia precisa do diâmetro do prato,
que te vai ajudar a colocar os cacos da periferia, e não só.

( O resto, é contigo )




Espero ter dado, uma pequena ajuda.